Africa Basquetebol

23 agosto 2007

ANGOLA : Camarões... não é canja!- Hoje jogo Eu

Já com a eliminação de muitos “grandalhões” do basquetebol continental, como malianos, senegaleses, ivorienses, centro-africanos e nigerianos a festa da bola ao cesto vai prosseguir hoje, com o protagonismo daqueles que souberam chegar por mérito próprio às meias-finais: angolanos, egípcios, cabo-verdianos e camaroneses.
Deste grupo, tirando o confronto Angola-Cabo Verde, em que obviamente ovacionarei pelos nossos, no Egipto-Camarões, vou torcer pelo Egipto, porque é o que mais convém para a malta na final. Pelos Camarões não senhor.
Não senhor porque tê-lo na final, com Angola, daria mais tarefa ao nosso cinco, na medida em que essa equipa vem subindo de forma de jogo a jogo. Estive em Cabinda a seguir as sua produtividade, do primeiro ao terceiro prélio do grupo “D”, e noto que é uma equipa que sabe o que quer, ao contrário do Egipto que já passou dificuldades com a Tunísia. O Egipto, esse sim, para si sobra muito pouco trabalho de casa para Lutando, Cipriano e seus companheiros. Podemos bem dar “cabazada faraónica”.
É que de vitória em vitória essa equipa camaronesa vai acreditando que também pode ir aos Jogos Olímpicos de 2008, se da decisão da Fiba em Dezembro próximo ficar fixado que além do campeão africano se apurarão mais ... duas equipas.
Eu, por exemplo, não contava que havia de varrer lá em Cabinda a Tunísia e África do Sul. É um sucesso que não estava nas previsões de muita gente.
Está em Luanda a fazer sucesso que não estava previsto. Antes da equipa vir a Luanda, o treinador principal, o senhor, Etienne Obah Nkoa negou segurar a equipa por lhe terem imposto que contasse com jogadores que maioritariamente jogadores da diáspora, em que se destacam.
Em cima da hora apostou no técnico L.Adiongono, que com pouco tempo de preparação apenas chamou do exterior Joseph Vladimir Owona (França) e Alfred Aboya Baliaba (Estados Unidos).
Não efectuaram nenhum estágio de preparação depois dos Jogos Pan-Africanos, mas a verdade é que venceu a série de Cabinda e, portanto, Camarões é sim senhor uma das melhores equipas presentes neste “Afrobasket”.
É uma equipa que parece ter apenas dificuldades de um bom armador, o que preocupa a equipa. Em Argel, por exemplo, Joachim Ekanga, um dos mais valiosos do conjunto teve que fazer esse papel. Mas Aboya, Bayang, Elong, Ekanga e Vounang têm tentado colmatar a falha.
Angola é oito vezes campeã e medalhista de ouro dos Jogos Pan-Africanos mas numa eventual cruzamento com os Camarões na final...cuidado com esse “intruso”.

14 Comments:

Enviar um comentário

<< Home