Africa Basquetebol

25 agosto 2007

ANGOLA : Adeus do “general” acontece mais logo

Miguel Pontes Lutonda, ou simplesmente “General”, como é carinhosamente tratado nas lides da “bola ao cesto” vai despedir-se na noite de hoje do “cinco” nacional, na final inédita frente à selecção dos Camarões.
Aos 35 anos de idade, dos quais mais de metade ligados à modalidade, é nos dias que correm o basquetebolísta de maior referência quer a nível do país quer a nível do continente berço da humanidade.
A sua popularidade, para os entendidos da matéria, é superada apenas pelo lendário Jean Jacques da Conceição e Ângelo Victoriano, que ao serviço da Selecção Nacional conquistaram nada mais nada menos que seis e oitos títulos africanos, respectivamente para além de várias participações em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos.
Levado à Selecção
Nacional Sénior pelo malogrado Wladimiro Romero, isto no ano de1997, no Campeonato Africano das Nações de Basquetebol realizado em Dackar, capital do Senegal, certame onde o “cinco” nacional viu o seu ciclo de vitórias consecutivas (quatro títulos africanos) a ser interrompido, o grande “General” foi durante estes anos elemento preponderante dos octa-campeões Africanos, na posição um (base). Miguel Pontes Lutonda, 1 metro e 86 centímetros de altura, possuiu um rico palmarés de causar inveja a qualquer atleta de alta competição.
“Depois de dez anos ao serviço da selecção principal e outros sete nas selecções jovens chegou o momento de deixar lugar para os mais jovens e doravante dedicar-me exclusivamente ao meu 1º de Agosto”, asseverou Miguel Pontes Lutonda, ou se preferirem o grande “General”, que no africano de Marrocos, em 2003, arrebatou o troféu de MVP (Jogador Mais Valioso).
Quis o destino que o pavilhão Principal da Cidadela Desportiva que o sagrou pela primeira vez, como campeão africano de seniores, o voltasse a acolher na hora da sua despedida da Selecção Nacional.
“Quero despedir-me em grande com a consagração do título africano o que seria bastante confortante pra mim”.
Questionado sobre os Jogos Olímpicos de Beijing, China, em 2008, onde o “cinco” nacional deverá uma vez mais representar a África na maior cimeira desportiva mundial, o camisola 14,
respondeu que vai “jogar”, mas na condição de décimo terceiro jogador – entenda-se do lado da claque de apoio.
“Os Jogos Olímpicos de 2008 pra mim estão fora de questão. Repito encerro a minha carreira na Selecção Nacional após o jogo da final de mais logo, frente aos camaroneses”, assegurou Lutonda.
Em caso de vitória do “cinco” nacional, o base mais talentoso dos últimos dez anos em Angola e África chamará a si o seu quinto título consecutivo. Hoje, Lutonda fará a sua octogésima quinta
internacionalização.
Em cinco jogos disputados até aqui o grande “General” anotou já 50 pontos e fez 16 assistência, sendo por isso, o melhor assistente do “cinco” nacional.

Palmarés de Miguel Lutonda

Formado nas escolas do Grupo Desportivo da Nocal, onde se notabilizou como jogador de alta competição, Miguel Pontes Lutonda, rapidamente se transformou num jogador de referência no país e no estrangeiro.
“Forçado” a actuar na posição um (base) pelo malogrado Wladimiro Romero, enquanto dirigiu a Selecção Nacional, transferiu-se do Grupo Desportivo da Nocal para o Atlético Sport Aviação (ASA), em 1995, onde se sagrou campeão nacional por duas ocasiões.
Depois rumou para o 1º de Agosto, onde se encontra até aos dias de hoje. Ao serviço da equipa militar, o grande “General” arrebatou seis campeonatos nacionais, cinco Taças de Angola e quatro Supertaças, para além de dois Campeonatos Africanos a nível de Clubes.
Ao serviço da Selecção Nacional, conquistou os africanos de 1999, 2001, 2003, 2005 e em 2007 prepara-se para comemorar o seu quinto troféu.
A estes títulos juntam-se as participações em campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos.

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home