Africa Basquetebol

18 junho 2007

MOÇAMBIQUE : Taça dos Campeões de África: ... E a “águia” salvou a honra do convento


PERANTE um dourado quarteto angolano, cujas credenciais no continente são inquestionáveis, coube às destemidas “alvi-negras” salvar a honra do convento, ao conseguirem, meritoriamente, o apuramento para a fase final da Taça dos Campeões de África em Basquetebol. Numa noite, do pretérito sábado, em que a águia estava proibida de falhar, sob pena de entregar o ouro ao bandido, como sói dizer-se, o seu voo foi tão inteligente e espectacular que, no epílogo da contenda, a festa foi verdadeiramente sua, mercê do triunfo por quatro pontos (59-54) sobre o Inter de Luanda. A equipa de Nazir Salé acompanha o 1º de Agosto, vencedor da série, e junta-se ao automaticamente qualificado Ferroviário, na qualidade de anfitrião da prova, a ter lugar em Outubro próximo, em Maputo.

Depois de somente o 1º de Agosto ter o passaporte carimbado ainda no decorrer da competição, à entrada para a derradeira jornada três formações digladiavam-se pela vaga remanescente. Deste triunvirato, apenas o ISPU tinha “a priori” garantias de vitória, diante das modestas zambianas do Nets. Desportivo e Inter jogavam entre si, num encontro decisivo que acabou por premiar o melhor conjunto nas quatro linhas, apesar de, a espaços, ter deixado os seus adeptos perplexos e descrentes. Em relação às “universitárias”, terceiras classificadas, ainda podem entrar no lote das qualificadas, por via da repescagem, caso esta venha a existir.

Em masculinos, as previsões em relação ao não apuramento dos nossos representantes confirmaram-se. Ferroviário da Beira e Ferroviário de Maputo foram impotentes face à hegemonia dos angolanos, com o Petro de Luanda, uma vez mais, a mostrar a sua meteórica ascensão em relação ao 1º de Agosto, seu maior rival intramuros e a nível continental. No entanto, fora das conjecturas estava naturalmente o triunfo da formação do Chiveve diante do campeão nacional, que investiu num americano, Ike Nwanko, e num sul-africano, Joseph Mazubuko, na perspectiva de fazer frente ao duo angolano.

O ASSALTO FINAL

Maputo, Segunda-Feira, 18 de Junho de 2007:: Notícias

Se a parte final dos filmes, ou das novelas, é aquela que efectivamente fica gravada na nossa retina, é de facto lícito reconhecer que a parte conclusiva do grande embate de sábado não somente está registada por essa razão como também, e sobretudo, porque mostrou um Desportivo que se sabe comportar como um conjunto, quando as circunstâncias assim o exigem, para além do sacrifício colectivo, da abnegação e virtuosismo das mais dotadas tecnicamente.

Embora o Desportivo tenha iniciado a ganhar, foi permitindo ao Inter, em alguns momentos, assumir as despesas do jogo, como por exemplo a sua vantagem (24-26) ao intervalo. Mas foi a partir do terceiro período que as duas formações se mostraram mais criativas e com o marcador a registar uma alternância que fazia prever uma ponta final disputadíssima. E foi realmente o que aconteceu, pois, apesar de as moçambicanas terem saído a vencer por cinco pontos (46-41), as campeãs angolanas em nenhum momento baixaram os braços, bem lideradas por Catarina Camufal, jogadora nuclear em todos os aspectos, secundada pela perspicaz Nigiendula Filipe.

O peso da pressão sobre as “alvi-negras” diminuía a sua capacidade de primeiro pensar antes de fazer. Vai daí, triplos falhados às catadupas por Anabela Cossa, Nádia Rodrigues e pela revelação Cátia Halar, embora a primeira se tenha valido de outros pormenores para terminar o jogo com 18 pontos. A acção das estrangeiras Andrea Hadjune e Gizela Rebora acabou também por ser determinante, a par da experiência de Deolinda Ngulela, que ao soar da buzina foi simplesmente esplêndida.

FICHA DO JOGO

DESPORTIVO (59) – Andrea Hadjune (10), Deolinda Ngulela (6), Sílvia Neves (0), Valerdina Manhonga (2), Anabela Cossa (18), Cátia Halar (7), Josefina Jafar (0), Luísa Nhate (0), Elina Sigaúque (0), Nádia Rodrigues (4), Dilar Dessai (0) e Gisela Rebora (12).

Treinador: Nazir Salé.

INTER (55) – Catarina Camufal (12), Nadir de Fátima (6), Vera João (0), Maria Rafael (0), Indira José (5), Mangongo Nelly (6), Celina da Conceição (2), Irene Guerreiro (2), Ana Machado (0), Ida Rosada (8), Angelina Golome (0) e Nigiendula Filipe (14).

Treinador: Apolinário Paquete.

Marcha do marcador: 16-13, 24-26, 46-41, 59-55

  • ALEXANDRE ZANDAMELA

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home