Africa Basquetebol

22 maio 2007

MOÇAMBIQUE : Campeonato da Cidade de Femininos : Ferro cada vez mais aguçado

Ondina Nhampossa com o esférico bem dominado
Ondina Nhampossa com o esférico bem dominado

AFINAL, o adormecimento que caracterizou o seu início de temporada não passava de uma táctica, também para adormecer os adversários, que chegaram a ver no Ferroviário um time à beira da vulgarização. Foi uma táctica bem pensada por Carlos Aik, porque, não querendo de imediato trazer à tona todo o virtuosismo e a qualidade inquestionável das suas atletas, fê-lo agora, na hora da verdade. Depois de refrear os ânimos das sensacionais “alvi-negras”, o ferro aguçou-se ainda mais e, na noite do pretérito sábado, perante o seu rival ISPU, mostrou que a coroa de rainha ainda lhe assenta perfeitamente, ganhando por claros 20 pontos (83-63), em partida referente à sétima jornada do Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo em Seniores Femininos, igualmente conhecido por Aeroportos de Moçambique.

Maputo, Terça-Feira, 22 de Maio de 2007:: Notícias

Vivido com muita emoção dentro e fora das quatro linhas, com o público a comparecer em massa no pavilhão do Estrela Vermelha, este terá sido, quiçá, o desafio de todas as vinganças “locomotivas”: por um lado, vingança da equipa face à derrota sofrida no seu terreno, na primeira volta, frente a este mesmo opositor, e, por outro, vingança a solo por parte da “miss” Carla Silva, que efectuou uma exibição a todos os títulos exuberante, infalível nos lançamentos e diabólica nos triplos – cinco conversões, o correspondente a 15 pontos -, ofuscando a acção de Ana Flávia Azinheira e praticamente reduzindo o ISPU à pequenez.

Na globalidade, tratou-se de uma partida interessante de se seguir, com o Ferroviário, desde cedo, a ditar as regras de jogo e comandar o marcador. Sabendo da inegável influência de Ana Flávia, as “locomotivas” trataram de lhe retirar espaço de manobra, assim como a outras pedras-chave das “universitárias”, casos de Aleia Rachide e de Vaneza Júnior, já que Tânia Wachene estava ausente, devido a lesão. As verde-e-brancas revelavam-se pragmáticas nas suas acções ofensivas e, quando se pensava que a decisão seria nas tabelas, portanto, na disputa entre as postes, tiraram o jogo para fora dos 6.25 metros, com Carla Silva na mó de cima, bem secundada, surpreendentemente nesta posição, pelas postes Deolinda Gimo e Ondina Nhampossa.

A um determinado período, com o Ferroviário a vencer por 20 pontos, o ISPU logrou diminuir a desvantagem, dando a sensação de pretender discutir o resultado até às últimas consequências, pois caminhava-se para o fim, mas a determinação das “locomotivas” veio outra vez ao de cima e aí o desfile de Carla, Ruth Muianga, Deolinda, Ondina, Janete Monteiro e Nika Gemo foi de uma primorosidade espectacular, justificando-se categoricamente os 83-63.

FICHA DO JOGO

Árbitros: Domingos Lino e Artur Bandeira

ISPU (63) – Marta Ganje, Eduarda Chongo, Ana Branquinho, D. Mabjaia, Amélia Macamo, V. Tomás, Aleia Rachide, Ana Flávia, Nádia do Rosário, Iracema Ndauana e Nália Simão. Treinador: Armando Meque.

FERROVIÁRIO (83) – Inocência Fondo, Ruth Muianga, Janete Monteiro, Tatiana Ismael, Carla Silva, Nika Gemo, Márcia Langa, Deolinda Gimo, Nádia Zucule e Ondina Nhampossa. Treinador: Carlos Aik.

Entretanto, no mesmo dia e no encontro entre os vizinhos Maxaquene e Desportivo, estes últimos venceram por 51-35, mantendo-se na liderança da prova, juntamente com as “locomotivas”, que na jornada anterior haviam derrotado as “tricolores” pela marca de 69-39, enquanto as “alvi-negras” bateram a Académica por 66-29.

4 Comments:

Enviar um comentário

<< Home